quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Paulo Silvino, ator e humorista, morre aos 78 anos no Rio


Paulo Silvino posa com Serginho Groisman, Belo e Suzana Vieira durante gravação do programa Altas Horas em julho de 2014 (Foto: Zé Paulo Cardeal/Globo) 

* * * Extraído do portal G1 * * * 

Silvino estreou na TV Globo em 1966, apresentando o Canal 0, programa humorístico que satirizava a programação das emissoras de TV. Ele morreu aos 78 anos e lutava contra um câncer no estômago.

  
Por G1 Rio
 


Morreu, na manhã desta quinta-feira (17), aos 78 anos, o ator Paulo Silvino, que lutava contra um câncer no estômago. Segundo a Central Globo de Comunicação, o humorista morreu em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, no início da manhã. Em redes sociais, o filho mais novo do ator, João Paulo Silvino, lamentou a morte do pai. "Que Deus te receba de braços abertos meu pai amado".

“Ser comediante nasceu por acaso. Talvez seja pela minha desfaçatez, porque eu nunca tive inibição de máquina. Tenho tranquilidade com a câmera e tive vantagem em televisão por isso. O riso dos cinegrafistas é o meu termômetro”. Paulo Silvino.

Segundo a família, Silvino chegou a ser submetido a uma cirurgia no ano passado, mas o câncer se espalhou e a opção da família foi que ele fizesse o tratamento em casa. A filha do humorista, Isabela Silvino, também usou as redes sociais para falar sobre a morte do pai. "Amigos, obrigada por todas as mensagens. Ainda estou naquele processar isso tudo. Mas posso dizer que ele foi bem. Sem sofrer.", afirmou.

Os amigos também lamentaram a morte de Silvino. “Um dia triste. O Paulo Silvino é um super artista. A gente falando aqui nesses tempos de Pop Star (programa dominical da TV Globo), é bom lembrar que o Paulo Silvino foi um dos primeiros pop star do Brasil, um dos primeiros atores que cantava, teve disco gravado na época da Jovem Guarda, foi roqueiro, quer dizer, foi um homem de mil facetas. E pra mim, em especial, ele foi uma espécie de padrinho porque minha primeira aparição na TV foi junto dele no Balança Mais Não Cai e eu tinha só oito anos de idade. Quero mandar meus sentimentos para a família”, disse o amigo e também ator Lúcio Mauro Filho.

O artista estreou na TV Globo em 1966, apresentando o Canal 0, programa humorístico que satirizava a programação das emissoras de TV.

·                   Veja fotos da carreira do ator

Paulo Ricardo Campos Silvino cresceu nas coxias do teatro e nos bastidores da rádio. Isso porque seu pai, o comediante Silvério Silvino Neto, conhecido por realizar paródias de figuras públicas no Brasil dos anos 1940 e 1950, levava o menino para acompanhar seu trabalho. Paulo Silvino também mostrava talento para a música, revelado durante as aulas que tinha com a mãe, a pianista e professora Noêmia Campos Silvino.

“Eu nasci nisso. Com seis, sete anos de idade, frequentava os teatros de revista nos quais o papai participava. Ele contracenava com pessoas que vieram a ser meus colegas depois, como o Costinha, a Dercy Gonçalves.”, disse o ator em entrevista ao Memória Globo.












Vida artística
Autor de bordões que não saem da boca do povo, Paulo iniciou a carreira no rádio, mas já nos anos 1960 se juntou ao elenco da TV Rio. Entre idas e vindas na Globo, estrelou Balança Mas Não (1968) e teve destaque nos programas humorísticos Faça Humor, Não Faça Guerra (1970), Uau, a Companhia (1972), Satiricom (1973), Planeta dos Homens (1976), e Viva o Gordo (1981). Em Zorra Total (1999), seu personagem Severino (que analisa "cara e crachá") se tornou popular.

Silvino nasceu no Rio de Janeiro em 27 de julho de 1939 e pisou num palco pela primeira vez aos nove anos de idade, quando se atreveu a soprar as falas para um ator de uma peça que o pai participava. Na adolescência, ele se apresentava como crooner de um conjunto de rock, acompanhado por músicos como Eumir Deodato (acordeon), Durval Ferreira (guitarra) e Fernando Costa (bateria).

Seu lado cômico já se manifestava durante os números do quarteto. Quando cantava Singin' in the Rain, por exemplo, costumava abrir um guarda-chuva no palco. A primeira performance profissional aconteceu em 1956. Anunciado como Paulo Ricardo, para evitar associações com o pai, cantou dois sucessos de Little Richards para a platéia do Programa César de Alencar, na Rádio Nacional. Durante a apresentação, rasgou as próprias roupas e, apoteoticamente, comeu o medalhão de "ouro" que estava usando, na verdade, um biscoito pintado de amarelo.

Na década de 1970, o comediante trabalhou nos programas Faça Humor, Não Faça Guerra (1970), Uau, a Companhia (1972), Satiricom (1973) e Planeta dos Homens (1976). Deixou sua marca como intérprete de personagens lunáticos e criou bordões absurdos como "Ah, eu preciso tanto!", "Eu gosto muito dessas coisas!", "Guenta! Ele guenta!", "Ah, aí tem!" e "Dá uma pegadinha!".


Tags: Altas Horas, Humor, Luto, Paulo Silvino, Zorra Total, TV, TV Globo

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Carteira Nacional de Habilitação terá versão digital com valor jurídico


* * * Extraído do Portal G1 * * *

Edição do dia 14/08/2017
14/08/2017 21h32 - Atualizado em 14/08/2017 21h32

Documento eletrônico entra em vigor no país em fevereiro de 2018.
Detran de cada estado vai decidir qual será o valor da carteira digital.

A carteira de motorista vai ganhar uma versão digital com o mesmo valor jurídico da CNH impressa.

Todo motorista sabe que para dirigir é preciso estar com a carteira de habilitação, mas muita gente já esqueceu o documento antes de sair de casa.

“Aí tem que voltar”, diz um motorista.
“Foi bem tenso. Tive que voltar para pegar”, lembra outro motorista.

Dirigir sem habilitação dá multa de R$ 88 e três pontos na carteira. Mas a partir de fevereiro de 2018, o motorista vai poder levar a CNH de outra forma. É quando entrará em vigor em todo o país a Carteira Nacional de Habilitação eletrônica, em um aplicativo de celular e com o mesmo valor jurídico da versão impressa.

“O celular, a gente queira ou não, vai estar sempre com a gente, é muito mais fácil de não esquecer”, diz o analista de sistemas Kelvin Santos.

O aplicativo dá acesso à frente da carteira com a foto do motorista; ao verso, com a assinatura e data de emissão; e a uma tela com um QR-Code, que será usado pelo guarda de trânsito para conferir a autenticidade do documento.

O motorista só precisa de internet no primeiro acesso, depois disso a carteira fica salva no celular. Só poderá ter a CNH no celular quem já tem a versão impressa mais moderna, que já vem com QR-Code
Detran de cada estado ainda vai definir se a carteira eletrônica será cobrada e qual o valor.

O ministro das Cidades diz que a habilitação de papel, por enquanto, não vai deixar de existir. “A carteira de habilitação impressa continua valendo, mas a tendência é que cada vez mais se opte pela carteira digital, que é muito mais prática a sua portabilidade”, disse o ministro Bruno Araújo.

Segundo o governo, o sistema de carteira digital é totalmente seguro. O documento será criptografado. O estado de Goiás será o primeiro a usar o sistema, como teste, a partir de 30 de setembro.


Tags:  CNH, Detran, G1, Jornal Nacional, Notícias, Tecnologia

sábado, 29 de julho de 2017

Cientistas resolvem mistério secular do Triângulo das Bermudas


* * * Extraído do Portal Yahoo * * *

Noticias Internacional sex, 28 de jul 06:41 BRT 

Teóricos da conspiração são obcecados pelo supostamente mortal Triângulo das Bermudas – conhecido por uma série de incidentes misteriosos, como o naufrágio de um navio cargueiro da Marinha dos Estados Unidos, em 1918.
Entusiastas paranormais afirmam que a região é amaldiçoada, e que os naufrágios são causados por forças como “portais do tempo” ou algo relacionado à Atlântida.
Acredita-se que o local tenha sido responsável pela ruína de pelo menos 1000 vidas humanas, 20 aviões e 50 navios nos últimos 100 anos.
No entanto, há um problema com a teoria do Triângulo “mortal”. Conforme o comunicador de ciência australiano Karl Kruszelnicki revelou numa entrevista nesta semana, a região não é mais perigosa do que qualquer outro ponto do oceano.



(Getty)

“De acordo com o Lloyds of London e a guarda costeira norte-americana, o número de aviões que desaparecem no Triângulo das Bermudas é o mesmo observado em qualquer outro lugar do mundo, considerando dados percentuais,” disse o Dr. Kruszelnicki.
“Ele fica perto da Linha do Equador, próximo a uma parte rica do mundo, a América, portanto, há um tráfego intenso”.
Ele disse que os mitos relacionados ao Triângulo das Bermudas ganharam força quando comboios militares desapareceram na região, mas isso ocorreu devido ao clima terrível, a barcos ruins, e a outros fatores como pilotos embriagados.

Tags: Mistério, Lenda, Notícias, Triângulo das Bermudas, Yahoo